Seus olhos estão mesmo saudáveis?

Alguns sintomas podem indicar que não

Os olhos são uma estrutura complexa, que vai além de retina, pupila e córneas. Como todas as outras partes do corpo, a lista de doenças que podem atingi-los é extensa: conjuntivite, ceratocone, miopia, catarata, glaucoma, terçol, entre tantas outras. Quando há alguma coisa errada, os olhos dão sinais: coceira, lacrimejamento, vermelhidão, dor. Você já teve algum desses sintomas? Se a resposta for positiva, talvez seja necessária uma consulta com o oftalmologista. “Qualquer desses sinais indica uma visita ao médico, pois muitas patologias oculares começam dessa forma e, se não forem diagnosticadas rapidamente, podem trazer prejuízos à visão”, alerta o oftalmologista do Hospital CEMA, Omar Assae.
Conheça os principais sintomas de problemas nos olhos e o que eles podem significar:
 
1 – Olhos vermelhos – A vermelhidão acontece quando há uma inflamação, em decorrência de uma infecção ou irritação. Nesse caso, há uma dilatação dos vasos sanguíneos, deixando o olho vermelho. Quando está relacionada a alguma irritação, pode ser causada por alergia a cosméticos, produtos químicos, poeira, fumaça ou a presença de corpos estranhos. A inflamação ocular pode ainda indicar uma conjuntivite ou algo mais grave, como uveítes e infecções intraoculares – doenças que podem causar perda da visão. Se a vermelhidão persistir por mais de 5 dias, e vem acompanhada de secreções amareladas ou esverdeadas e sintomas paralelos, como náuseas e vômitos, é necessária uma investigação mais detalhada.

2 – Coceira nos olhos – Quando eles começam a coçar, pode ser sinal de irritação ou alergia ocular. Pessoas com rinite, sinusite e outras alergias tendem a enfrentar mais esse problema, principalmente nos períodos de crise. Cosméticos e até mesmo o uso inadequado de lentes de contato podem provocar coceira. Em alguns casos, a presença de corpos estranhos causa essa sensação, bem como alguma inflamação, como conjuntivite. Coceiras ocasionais não costumam ser preocupantes, mas quando persistentes e acompanhadas de outros sintomas devem ser avaliadas por um especialista, pois podem indicar algo mais sério.
 
3 – Olhos lacrimejando As lágrimas são essenciais para os olhos: cheias de água e sais, elas ajudam a mantê-los lubrificados e livres de agentes estranhos. No entanto, muitos problemas oculares podem levar a um lacrimejamento exagerado. É o caso da conjuntivite, que além de vermelhidão, coceira e dor, provoca esse quadro. A exposição a produtos químicos e a fotofobia (aversão a qualquer tipo de luz) também podem causar aumento da produção lacrimal. Porém, o mais comum é que esse sintoma seja decorrente de um mau funcionamento na drenagem das lágrimas, que é feita pelas glândulas lacrimais que ficam sob a pele das pálpebras. Essa condição pode provocar excesso de produção ou o inverso. Geralmente, o tratamento é simples, mas existem pessoas que desenvolvem um problema crônico. Quando há uma anormalidade ou obstrução do canal lacrimal, o médico pode indicar cirurgia para resolver a situação.
 
4 – Olho seco – Enquanto algumas pessoas sofrem com o excesso de lágrimas, outras podem enfrentar justamente o contrário: a falta delas. Nesse caso, como não há lubrificação, os olhos ficam secos. Várias condições podem provocar esse sintoma. A exposição à poluição, ao vento, ao sol, ou ficar em ambientes com ar-condicionado podem ressecar a vista. Ficar muito tempo na frente das telas, como TV, Smartphones e computadores, e alguns medicamentos, como anti-histamínicos, antidepressivos e diuréticos também podem causar esse sintoma, bem como a menopausa e uso inadequado de lentes de contato. Existe ainda a Síndrome do Olho Seco, que provoca ressecamento na superfície ocular, devido ao mau funcionamento nas glândulas que produzem as lágrimas. O olho seco pode ainda significar outras enfermidades, como doenças reumáticas.

Data de Publicação : 07/10/2018