Não subestime o poder da higienização nasal

Uma das medidas mais eficazes para evitar problemas respiratórios, principalmente gripes, resfriados e crises alérgicas, é o bom e velho soro fisiológico. Saiba por quê.

Basta cair um pouco a temperatura para que muita gente comece a espirrar, tossir e assoar o nariz. Não à toa, o inverno está sempre associado a inúmeras doenças. E essa associação faz todo sentido. “As temperaturas frias prejudicam o funcionamento adequado da mucosa respiratória, diminuindo seu mecanismo de defesa e imunidade local. O resultado é que as vias aéreas ficam desprotegidas, mais suscetíveis às infecções virais e bacterianas”, explica o otorrinolaringologista do Hospital CEMA, Andy Vicente. A tendência de que as pessoas fiquem em ambientes fechados por mais tempo – o que facilita a propagação de doenças contagiosas –, a baixa umidade e os altos índices de poluição também entram na conta, prejudicando o aparelho respiratório, como um todo. No entanto, existe uma aliada muito eficaz no combate às doenças de inverno: a higienização nasal.

“Feita diariamente, ela promove a limpeza do nariz, melhorando a hidratação do muco e facilitando a drenagem para a garganta”, detalha o médico. E essa medida simples é importante, principalmente, para os alérgicos de plantão. São eles os maiores alvos das doenças de inverno, ainda mais se forem habitantes de grandes cidades, com altas concentrações de agentes poluentes; de lugares com clima frio ou com muita umidade – por que há maior proliferação de fungos. “A hidratação das vias aéreas ajuda a diminuir a concentração de alérgenos, que podem entrar em contato com a mucosa nasal e desencadear processos alérgicos”, explica.

Para fazer uma boa higienização nasal, não tem segredo: soro fisiológico 0,9% ou água filtrada ou fervida com sal, aplicados no nariz, de 3 a 4 vezes, por dia, em formato de spray, jato contínuo ou seringa. A lavagem nasal está liberada, inclusive, para as crianças, até mesmo os recém-nascidos. “As crianças pequenas têm um sistema imunológico pouco desenvolvido, uma mucosa mais sensível e suscetível a processos infecto-inflamatórios”.

Além da aplicação do soro fisiológico diretamente no nariz, outra medida interessante é fazer inalação ou aproveitar o vapor do banho para realizar aquela “faxina” nas vias aéreas. O uso de umidificadores também é uma solução interessante, além da ingestão constante de água. Tudo isso ajuda a hidratar a mucosa, deixando todo sistema imunológico fortalecido. “Vale lembrar que quanto mais livre e limpo estiver o nariz, melhor será a qualidade do ar que chegará aos pulmões”, finaliza o otorrinolaringologista.

Data de Publicação : 07/06/2018