Doenças respiratórias: saiba o que é mito e o que é verdade

Especialista esclarece quais medidas caseiras são eficazes e até que ponto o senso comum tem razão nas doenças típicas do inverno

A saúde é uma área cercada de mitos e receitas caseiras. Tem sempre alguém que sabe o que fazer nos casos de gripe ou quando bate aquela dor de ouvido. No entanto, será que o senso comum acerta sempre? Será que sair na friagem adoece mesmo? A seguir o otorrinolaringologista do Hospital CEMA, Cícero Matsuyama, esclarece o que é verdade e o que não passa de crença popular.


RESFRIADO É UMA GRIPE LEVE?
Resfriado e gripe são diferentes. Ambos são transmitidos por vírus e causam sintomas parecidos, porém, no caso da gripe as manifestações clínicas são mais graves, há maiores riscos de complicação e a duração da doença é menor.

GRIPOU? O QUE DÁ PARA FAZER EM CASA?
“A utilização de medidas caseiras pode ser bem-vinda, em alguns casos. Gargarejos com água morna e uma pitada de sal nas dores de garganta, lavagens exaustivas de solução nasal nas narinas para desobstrução das vias aéreas podem ajudar no alívio dos sintomas”, explica o especialista do CEMA. Segundo ele, o que deve ser evitado é a ingestão de remédios sem prescrição médica.

É VERDADE QUE PINGAR ALGO QUENTE NO OUVIDO MELHORA A DOR?
O uso de compressas úmidas e quentes nas dores de ouvido agudas pode ser útil sim, esclarece Matsuyama. Mas jamais introduza substâncias ou instrumentos no conduto auditivo externo. Pode piorar a dor e ainda causar mais problemas.

PEGOU FRIAGEM? TALVEZ FIQUE GRIPADO MESMO
Mudanças bruscas de temperatura fazem o organismo humano reagir, de forma a encontrar o equilíbrio. Por exemplo: alguém que está em um ambiente quente e passa para um ambiente frio passa a produzir mais calor para manter o equilíbrio corporal, aumentando a frequência sanguínea. Com isto, pode haver congestão nasal, aumento de secreções orais e nasais, desconforto na deglutição e, caso ocorra exposição a agentes virais ou bacterianos, a chance de pegar uma gripe é quase certa. Mas, vale lembrar, não é o frio que causa a doença, é a mudança brusca de temperatura.

E A VITAMINA C, AJUDA MESMO?
Sim, a vitamina C melhora o sistema imunológico, tornando-o mais resistente. No entanto, já está comprovado que utilizar vitamina C durante um episódio de gripe só vai aliviar os sintomas e talvez diminuir o tempo de duração da doença. Além disso, a Vitamina C é facilmente obtida pela alimentação regular, ou seja, não há necessidade de suplementos.

MEL, LIMÃO E ALHO CURAM GRIPE?
“Sabidamente o mel, limão e o alho têm substâncias descongestionantes e são fontes de vitaminas importantes frente a um processo infeccioso viral das vias respiratórias superiores. A utilização desses produtos é extremamente benéfica, porém, devemos ter cuidados quando os sintomas são mais exuberantes ou que perdurem por mais de 5 dias do início do quadro instalado”, esclarece o médico do Hospital CEMA.

Data de Publicação : 17/07/2017